junho 22

Como Machine Learning pode ser um aliado da sua empresa?

Durante o Google Marketing Next, que aconteceu no início do mês de maio, foram apresentadas algumas novidades acerca do Google AdWords e Google Display Network. Uma das mais interessantes foi a capacidade da ferramenta de impactar os internautas com anúncios de acordo com mudanças significativas na vida deles.  Vamos dar um exemplo. Digamos que alguém que você conhece entrou em noivado ou até mesmo se casou. A partir do momento que isso é detectado pelo algoritmo do Google, a pessoa passa a receber anúncios relevantes a esse período da vida, como o de casas disponíveis para venda ou produtos de housewear.

Mas como algo assim é possível? Muitas pessoas leigas sobre marketing digital acreditam que essas abordagens estão cada vez mais intrusivas, afetando diretamente a sua privacidade. O que é esquecido é que esse processo está isento de fator humano, existindo apenas um bot que aprende a detectar padrões de comportamento na Internet. O nome para isso é Machine Learning.

Foi-se o tempo que inteligência artificial era algo distante da nossa realidade, restrito apenas às divagações filosóficas dos filmes de ficção científica como Matrix ou Blade Runner. Hoje em dia, algoritmos fornecidos por grandes nomes do mercado de mídia digital como Google e Facebook se tornaram os principais aliados dos profissionais de marketing.

Isso aconteceu graças ao crescimento do mercado mobile, que está presente na jornada diária dos consumidores e trouxe um volume assombroso de dados, coisa que é humanamente impossível de se acompanhar ou depurar em tempo real.

 

Para termos noção da quantidade de dados, uma pesquisa realizada pelo Google revelou que apenas 20% dos 125 milhões de usuários mobile estão decididos pela compra. Também sabemos que 96% deles pesquisam na Internet antes de comprar em alguma loja física e 93% optam em comprar em e-commerces ou marketplaces para evitarem se deslocar até o ponto físico.

 

Esse alto volume de dados faz com que a experiência com anúncios que o usuário tem seja multicanal, trabalhando diversas redes de display na medida em que o usuário interage com as marcas na Internet. O Machine Learning faz com que esse processo seja automatizado, otimizando – ou descartando – processos de acordo com o interesse dos usuários.

Um exemplo simples de Machine Learning seria uma abordagem de Teste A/B automatizada, com cada peça possuindo um call to action específico. Durante a execução da campanha, o algoritmo detectaria qual peça performou melhor e por quais motivos (texto, peça criativa, segmentação de público etc.) e ele mesmo se encarregaria de continuar a otimização da campanha, sem a necessidade de um analista de mídia interferir.

 

No passado, a Revolução Industrial trouxe maquinário pesado para um mundo outrora dominado pelo artesanato. Essa inovação permitiu a produção em escala até então nunca pensada, obrigando essa mão de obra a se adaptar ao novo paradigma. Caberá ao profissional de marketing seguir o mesmo caminho, entendendo o protagonismo da inteligência artificial para o futuro da área.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Vamos marcar um café?

O que deseja?